Skip to content
Anúncios

Bolsa de tripulantes funciona, mas…

quinta-feira, 28 agosto, 2008 @ 12:38 am

Ademir Pavão no veleiro Pavão - Foto © Hélio VianaConhecemos Ademir Pavão na festa antes da largada do Rally Salvador – Recife de 2005. Ele tinha feito em solitário de Nova Viçosa a Salvador, em três dias e meio numa velejada maravilhosa no veleiro Pavão, um Cal 9.2.

Durante a festa um amigo baiano me perguntou se tinha algum barco que pudesse levar um tripulante que estava louco para fazer o trecho até Recife.

Como são umas 400 milhas eu insisti para que Pavão levasse esta pessoa para ajudá-lo na travessia. Ele relutou um pouco, mas topou conversar com o pretendente.

Apresentei os dois e rolou o seguinte diálogo:

– Você sabe velejar?
– Claro, sou experiente no mar.
– Você tem algum problema de saúde?
– Não, nenhum problema.
– Enjoa?
– Não, não que eu me lembre.

Acabo de encontrar o Pavão no Terminal Náutico da Bahia, aqui em Salvador. Almoçamos juntos no Mercado do Ouro, no Juarez Restaurante que diz ter “o melhor filé da Bahia”. Entre uma Original e outra, ele me relembrou o que aconteceu:

Hélio, eu não vou enfeitar o pavão, mas o tripulante que você indicou me deu o maior trabalho. Quando saímos de Salvador, a umas 40 milhas mais ou menos, ele começou a enjoar. Aí acabou o meu sossego, o cara se danou a perguntar: esse barco anda a mais de 100Km/h? Porque você está mexendo na vela e não a deixa quieta? Porque está fazendo isso? E aquilo? Minha noite virou um inferno.

Perto de Aracaju ele passou mal de vez. Aí a coisa piorou ainda mais.

– Eu tomo um remédio controlado e não posso enjoar. Você tem que me levar para terra, o tripulante falou já querendo se exaltar.

– Isso aqui não é um táxi que se pode saltar em qualquer lugar, argumentei tentando botar ordem na situação.

Não deu outra: tive que entrar em Aracaju às 21h30, sem carta de navegação, com o mar coalhado de plataformas de petróleo desativadas, sem enxergar direito por onde navegava. Foi o maior estresse nos seis anos que navego! Eu sofri muito nessa travessia.

Deste dia em diante só velejo sozinho. Não quero saber de tripulantes, muito menos se for indicado por você!

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. IZABEL permalink
    quinta-feira, 20 novembro, 2008 @ 10:21 am 10:21 am

    Eu já velejei com ele e não tivemos problema algum..rs
    Abraços

    Curtir

  2. quinta-feira, 27 novembro, 2008 @ 10:46 pm 10:46 pm

    Izabel,

    O Pavão é um bom parceiro de viagem. O problema foi o tripulante que lhe arranjei.

    Abraços procê também

    Curtir

Trackbacks

  1. Curso de marinização – estudar é um bom começo « MaraCatu Weblog

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: