Pular para o conteúdo

Piratas no Brasil

quarta-feira, 7 janeiro, 2009 @ 12:05 am

Caetano canta que o Haiti é aqui, mas parece que vamos ficar parecidos é com a Somália. O post é longo, mas se avexe não, leia com calma.

O blog do Prof. Saconi faz referencia a uma noticia da Folha Online sobre uma região da Somália, chamada Puntlândia, no Nordeste do país, que é infestada de piratas. Uma revista Veja que me caiu nas mãos diz que em 2008 “mais de 60 embarcações foram seqüestradas pelos piratas Somalis nas águas do Chifre da África, causando prejuízos de US$ 15 bi”.

Aqui na Terra Brasilis a coisa começa a feder, o bicho ta pegando, senão vejamos…

Em Natal foi roubada a balsa salva-vidas de um veleiro que participou da regata Noronha – Natal, como Valeria comentou no Diário do Gandaia. Aqui ela também dá a notícia do assalto e agressão, em São Luiz no Maranhão, a um casal de ingleses, que navegam com uma filhinha de um ano e meio: “Seis homens armados entraram no barco no meio da madrugada enquanto todos estavam dormindo. Roubaram várias coisas deles e ainda agrediram o Daniel que na foto do jornal estava com uma cicatriz no rosto”.

Depois Marçal do Rapunzel me replicou um e-mail de Ademir, o Gigante, do veleiro Entre Pólos, que acabou de fazer o chamado Circulo do Atlântico:

Olá amigos, estou voltando a Porto Alegre com o Entre Pólos, depois de uma maravilhosa viagem, e um sonho realizado, a volta de Barcelona a Porto Alegre em solitário. Sei que todos torcem pelo sucesso desta aventura e muitos acompanham o diário de Bordo www.popa.com.br/diarios/entre_polos/2007/indice.htm. Infelizmente depois de quase 16000 milhas navegadas nesta viagem, de ter superado todos os medos de uma navegada em solitário, que para mim foi uma das melhores decisões, em nenhum momento senti medo, ou tive alguma situação que pudesse por em risco a minha vida ou o meu equipamento, tudo bem planejado e com a maior consciência do meu feito, por este motivo o sucesso, e me apaixonei por este tipo de navegação.

Saí de Ilha Bela dia 19/11 quarta feira às oito horas da manha rumo a Porto Belo, a previsão não era das melhores, mas o vento favorável traves folgado, às 23 horas do mesmo dia no traves de Peruíbe SP a 40 milhas da costa aproximadamente, Lat.  24⁰58, 634. S. Long.  046⁰ 26, 237. N. quando dei uma revisada ao redor do barco para poder dar um cochilo, vi um barco a duas milhas de distancia no traves de boreste, fui conferir o radar para ver o que havia pois ele não me avisou da aproximação, não estava funcionando dava um aviso de SEM PULSO, o barco em questão me acompanhando paralelamente e se aproximando, estava velejando com grande risada e genoa , numa velocidade de 6 nós, liguei o motor no giro Maximo permitido pelo fabricante, e o barco também aumentou a velocidade me acompanhando e se aproximando, deis 10 graus para bombordo e o barco também, orcei mais 20 graus a bombordo e o barco já estava em minha popa a uns quinhentos metros de distancia e se aproximando, chamei no radio pra saber se estavam com algum problema e nada me responderam, tentei  me controlar pra não entrar em pânico, confesso que sentia o coração saltar achando que podia de repente estourar as veias que  pulsavam até a garganta, sensação horrível impotente e pela primeira vez um verdadeiro medo, cheguei a pensar em saltar na água com colete, pois o que poderia acontecer comigo só em um barco como o Entre Pólos, bem equipado e cheio de meus pertences de uma casa que esta a muito navegando. Apaguei as luzes de navegação diminui a luminosidade dos instrumentos, quando mais se aproximaram perto dos 100 metros já podia ver a sombra dos tripulantes no tal barco, arribei os trinta graus que avia orçado e o barco disparou com velas cheias e motor a pleno, talvez tenha conseguido andar a um nó a mais, que talvez fizesse a diferença de eu estar aqui relatando este infeliz acontecimento, me acalmando vi o barco ficar para traz e mudar o rumo feito barata tonta me procurando. Não consegui dormir aquela noite, tive que navegar no escuro e sem radar fazendo eu a vigia. Nunca na vida peguei uma arma na mão, será que pra navegar terei que me armar?  Ou desistir de velejar, pois o lugar que mais me sentia seguro era no barco navegando, sempre comparei a segurança urbana com a segurança a bordo, tudo mostra ser mais seguro navegar, mas com os outros assaltos que sofri na vida urbana este me abalou mais, pois se estes tivessem me alcançado as chances seriam menores. Agora vou tentar esquecer para  continuar navegando, e feliz por estar inteiro, e poder rever minha mulher e meus filhos. Ontem quando cheguei a Porto Belo liguei para um amigo em Parati, Roberto do veleiro Charrua, pedi para ele avisar o Janmaluce, pois o Iam iria fazer o mesmo trajeto esta semana, o Roberto aproveitou e relatou o acontecido com um pessoal da marinha que confirmou a existência deste acontecimento naquela região, e que já estão tomando providencia.

Então Jan do veleiro Jamaluce me manda uma noticia que fala do espancamento e assalto a um casal de velejadores franceses na Marina de Itaparica ancorados em Itaparica na Bahia (isto também foi noticia na TV). É o segundo assalto por lá que cai na mídia, como mostra o blog Política Livre: … em março “uma família foi assaltada num barco por quatro homens fortemente armados. Depois de renderem os ocupantes do barco, os bandidos os amarraram, amordaçaram e fizeram a limpa. O assalto, seguido de espancamento ao francês, acontece exatamente no momento em que o presidente daquele país, Sarkozy, e a primeira-dama, Carla Bruni, promovem uma grande divulgação espontânea no mundo sobre a Bahia como destino turístico por conta de sua estadia que se estende em Itacaré”.

Na região da Puntilândia muitos países enviaram navios de guerra para a área. E aqui, o que vamos fazer para acabar com nossos ratos de praia e os outros bichos oportunistas?

Eu não sei você, mas se tivermos que colocar grades nas gaiutas dos nossos veleiros e dormir com a porta fechada é preferível mudar de vida e ser um monge no Tibet (se bem que as relações do Tibet com a China ainda estão conturbadas…).

13 Comentários leave one →
  1. sábado, 10 janeiro, 2009 @ 10:05 am 10:05 am

    pois bem, helio a coisa ta mesmo grave, os veleiros e catamarans da baia de todos os santos ja estam com grade nas gaiutas e infelizmente nos tb estamos dormindo com o barco trancado… agora os paraisos estao deixando um gostinho amargo… beju e se cuidem chris

    Curtir

  2. terça-feira, 13 janeiro, 2009 @ 4:24 pm 4:24 pm

    Chris,

    Agora também fechamos a porta de entrada do barco e colocamos sensor de presença no cockpit, pode?

    Já estou estudando o Budismo. Você sabe quanto custa uma passagem para o Tibet?

    Um cheiro,

    Curtir

  3. Nelson permalink
    segunda-feira, 19 janeiro, 2009 @ 12:07 pm 12:07 pm

    Olá amigos, quantas saudades de voces e de nossos encontros etilicos. Amigos, sei que o problema da violência contra velejadores já é uma realidade sem controle em nossas águas, mas nós que moramos a bordo e amamos essa vida de liberdade não podemos calar diante dessa chaga que infesta o Brasil. Sei que voces são paraibanos de coração, mas isso não quer dizer que voces se calem diante da violencia que ocorreu com voces na marina do jacaré. Voces tem uma grande ferramenta de comunicação, lida por quase todos que se aventuram no mundo da vela de cruzeiro. Denunciar e cobrar ações que coibam a pirataria a bordo é mais do importante para o mundo da vela. Abraços, Nelson e me perdoe se pisei na ferida.

    Curtir

  4. segunda-feira, 19 janeiro, 2009 @ 6:05 pm 6:05 pm

    Nelson,

    Concordo com você que devemos denunciar e cobrar ações que coíbam os atos de violência e pirataria, tanto que este post, onde estamos comentando, é exatamente sobre isto.
    Não há, nem nunca houve, intenção minha de calar sobre o que ocorreu conosco na praia do Jacaré. Não é por ser paraibano de coração que tomarei uma atitude de avestruz, mas cabe a mim decidir o momento de publicar algo sobre o ocorrido. A hora não é esta, vou deixar a poeira baixar e, ai sim, escreverei com calma, dando inclusive sugestões para que os cruzeiristas possam se precaver. Mais leitores que o blog do MaraCatu tem a Revista Náutica, que vai publicar na edição de fevereiro uma nota sobre esta onda de assaltos a velejadores, um primeiro passo para tentar sensibilizar as autoridades competentes. Não há o que perdoar, porque você não pisou na ferida, alias nem existe ferida.

    Forte abraço e beijo em Lucia,

    Curtir

  5. quinta-feira, 29 janeiro, 2009 @ 10:57 pm 10:57 pm

    Alou tripulantes do MaraCatu Weblog.

    Estamos na Itaparica Marina e ficamos sabendo que o casal francês que foi assaltado, diferentemente do que foi noticiado (inclusive na TV), não estava na marina e sim ancorado. O que não minimiza em nada a violência sofrida pelo casal, mas este detalhe faz diferença.

    Além disso, adianto que a prefeitura botou um barco com dois tripulantes para fazer rondas noturnas na ancoragem. Não sei se vai resolver, mas já é alguma providencia.

    Vamos tentar ter bons ventos sempre,

    Curtir

  6. quinta-feira, 26 fevereiro, 2009 @ 5:07 pm 5:07 pm

    Oi Hélio, eu estava navegando no Golfo de Aden, alguns meses atrás, e volto para lá em breve, e posso afirmar que o Brasil não se parece com a Somália, ainda. Mas se não tivermos uma política mais coerente para a pesca profissional, e melhor policiamento, inclusive com corpo de voluntários, como existe nos paises de primeiro mundo, isto pode piorar sim. Em tempo, parabéns pelo blog! Abraços, Yuri e Vera Sanada

    Curtir

  7. quinta-feira, 5 março, 2009 @ 7:59 pm 7:59 pm

    Yuri e Vera,

    Bens-vindos a bordo. Grato pelos elogios.
    Tens razão, estamos longe de virar uma Somália (usei como figura de retórica).
    Vamos batalhar por políticas coerentes, pela criação de nossa Guarda Costeira (pirataria é crime federal) e vamos ter, também, certos cuidados a bordo quando ancorados em lugares com histórico de violências (como fazemos no mar em áreas ditas sujeitas a pirataria – como você está vivendo no chifre da África). Boa idéia a do corpo de voluntários.
    Espero que sua “prisão semi-aberta” já tenha acabado.
    Bons ventos sempre,

    Curtir

  8. terça-feira, 2 fevereiro, 2010 @ 11:51 am 11:51 am

    Isso é muito preocupante, recentemente supostos piratas adentraram o território maranhense:

    PIRATAS NO LITORAL DO MARANHÃO

    Espero que sejam devidamente punidos por possíveis crimes que tenham praticaod.

    Curtir

    • segunda-feira, 8 fevereiro, 2010 @ 5:42 pm 5:42 pm

      Castro,

      O barco dos suíços que foi dar na praia de Tutóia foi roubado em Cabo Verde e, felizmente, os donos passam bem.
      Veja aqui a notícia no Globo Online.

      Bons ventos sempre,

      Curtir

Trackbacks

  1. Fique por dentro Velejadores » Blog Archive » Piratas no Brasil « MaraCatu Weblog
  2. No Rumo de Casa – Itaparica « MaraCatu Weblog
  3. Piratas a Bordo « MaraCatu Weblog
  4. VII Encontro – Segurança no Mar « MaraCatu Weblog

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: