Pular para o conteúdo

VOR – Escala no Rio

sexta-feira, 3 abril, 2009 @ 11:48 am

VOR  In Port Race

As ruas da zona sul do Rio, pelo menos nas que andei, estão qualhadas de cartazes da chegada da Volvo Ocean Race. No Túnel Novo, pertinho do Shopping Rio Sul, tem um alt door imenso, e bonito, convidando para a regata, amanhã, na baía de Guanabara (a In-Port Race). Quem está fazendo este auê todo é a Light, a companhia de eletricidade da cidade, que é a patrocinadora máster do Rio Stop Over (como eles chamam esta escala da VOR) e que juntou este evento na campanha Rio 2016, para as Olimpíadas.

A Marina da Glória está parecendo um play ground para os amantes da vela. Além de encontrar a turma da vela, experimentamos o simulador que dá a sensação de estar navegando num fogoso VO 70, com direito aos solavancos parecidos com os de um cavalo chucro, aos barulhos característicos do mar e até a sprai d’água na cara que, espero, eles não tenham usado da baía de Guanabara. Depois assistimos no The Dome, um cinema HD 180º, um filminho com imagens chocantes que conta a historia e evolução da regata desde sua primeira edição como Withbread Round the World Race. Ainda participei do desafio de subir uma vela usando o coffe grindler, aquelas manivelas que lembram um moedor de café, e fiz o tempo de 12 segundos (nada mau para um fumante inveterado, mas tinha mulher conseguindo fazer em 11 segundos).

Amanhã conto mais, agora vou curtir o Rio.

4 Comentários leave one →
  1. sábado, 4 abril, 2009 @ 7:22 pm 7:22 pm

    Cumprimentos Hélio,tenho andado por aqui a vasculhar os recantos. Já vi as fotos da construção dos veleiros e tenho lido as historias através dos links aqui expostos. Tambem já li as conclusões e as experiencias passadas por voces. E a minha modesta opinião é que têm aqui uma historia muito bem contada e bem estruturada. De um modo ligeiro, simples e bem humorado vão contando o vosso modo de vida diferente de forma cativante, vou continuar por aqui.
    Quanto ao post de hoje, na verdade a minha curta experiencia é praticamente baseada em regata. Regatas de clube, sem grande rigor tecnico, mas mesmo assim uma boa escola. A questão é que eu não aprecio por ai além as regatas. O stress e a pressão que existem em regata são a antitese daquilo que eu procuro no mar e nos veleiros e num modo de vida “diferente”. No entanto , não deixo de apreciar a beleza das imagens das grandes competições, entendo é que pertencem a um mundo diferente do meu e daquilo que procuro.

    Curtir

    • quinta-feira, 9 abril, 2009 @ 11:05 am 11:05 am

      Conde,

      Bem-vindo a bordo. Tu és o primeiro leitor e navegador das águas Portuguesas que deixa um comentário. Já posso dizer que o MaraCatu Weblog é internacional. Apareça sempre, a casa é sua.

      Também gostei de Navegar entre as estrelas, se bem que poderias ser mais assíduo. Espero que a construção do teu barco continue de vento em popa. Deves saber que todo construtor amador tem memória curta: todas as agruras da construção serão esquecidas na primeira velejada.

      Bons ventos sempre,

      Curtir

      • quinta-feira, 9 abril, 2009 @ 4:33 pm 4:33 pm

        Já estava a ficar triste, nem merecia uma resposta ou comentario ao meu comentario(!). Já estava a pensar em escrever á Mara, podia ser que tivesse mais atenção.
        Eu queria ser éra o primeiro a velejar por essa costa sem horários para cumprir e curtir o rio Formoso e a praia dos carneiros (falo sempre da mesma porque é o sitio que eu conheço). Mas por enquanto é a ferrugem que me espera.
        A construção continua não de vento em popa mas mais á bolina. È que por aqui o sindicato resume-se mais a…..eu!.Mas não é nenhuma desgraça, por acaso até é por opção.
        È verdade, podia ser mais assiduo, mas a verdade é que agora mesmo dei um saltinho da construção para responder ao teu comentario e vou voltar para lá até ás 24 horas. Depois casa e amanhã aqui outra vez lá para as 8 horas. Mais 3 miudos pequenos, mais a mâe dos miudos, mais o trabalho e mais….não sobra muito tempo para escrever textos como eu gosto, que são aqueles que acrescentam alguma coisa ao que já foi dito.
        E tambem como sou só eu a trabalhar e o barco é grande a construção é lenta, logo as fotos têm que ser mais espassadas no tempo para se poder ver a evolução.

        Curtir

        • quarta-feira, 15 abril, 2009 @ 9:04 pm 9:04 pm

          Conde,

          Como se diz por aqui: nois tarda, mas num farta.
          Também gosto muito da praia dos Carneiros, ao sul de Recife. Mas se avexe não, quando o barcão ficar pronto quem sabe se não será um dos teus destinos nessa nossa costa tão rica em bons fundeadouros.

          Bons ventos sempre,

          Curtir

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: