Skip to content
Anúncios

Morando na Obra

quinta-feira, 15 outubro, 2009 @ 12:07 am

Depois de ficar zanzando mais de 3 anos pela Austrália e arredores no Green Nomad, um Van de Stadt 36’ de aço, o casal Luis Manuel e Marli retornou ao Brasil em 2006 e mergulhou de cabeça em um novo projeto: a construção de um barco do zero, desde o conceito até ao acabamento, agora usando o alumínio como material do casco. O projeto é uma derivação do MC 36SK do escritório do Cabinho e foi batizado de Kiribati 36.

Aqui tem o começo da empreitada e abaixo as novidades do querido casal:

Muitas vezes nos lembramos dos nossos tempos de construção do Green Nomad, o primeiro, lá no Clube São Cristóvão, na zona norte do Rio. Embora não fôssemos do time do Sindicato Ajuricaba, de certa forma nos sentimos um pouco parte dessa história, pois compartilhamos o espaço, as festas e, claro, os mesmos problemas de uma construção amadora. Uma das coisas que mais me lembro é ver o Hélio vindo do bar do clube com duas cervas super geladas, uma em cada mão, segurando pelo gargalo para não esquentar. Como o caminho mais curto entre o bar e o MaraCatu passava pelo nosso barco, eu podia controlar o progresso da obra dele.

Agora estamos fazendo tudo de novo, só que dessa vez com um desafio extra: morar a bordo do barco e fazer o interior ao mesmo tempo. Falta de opção é a mãe da invenção, e por incrível que pareça já estamos quase terminando a construção do interior do Green Nomad, versão dois, tendo morado a bordo todo o tempo, desde o lançamento na água até hoje.

Marli na cama improvisada No início dormíamos no piso improvisado, um de cada lado da caixa da quilha retrátil. Após terminar o isolamento térmico com isopor, começamos pela nossa cama, na popa, e fomos fazendo um giro no sentido horário, fazendo cozinha, sofá e armários de bombordo, cama de proa, sofá e armários de boreste, mesa de navegação, banheiro, e finalmente pia da cozinha, que fica sobre a caixa da quilha retrátil.

Sempre tínhamos que planejar as obras para tentar preservar uma área livre de poeira, pelo menos em nossa cama, na cozinha e um dos sofás, isso já na época do luxo. Mas nos primeiros 2 meses a coisa foi bem caótica. Comer era onde dava para livrar uma área grande o suficiente para sentar, a pia era uma bacia de preparar massa de cimento, o banheiro… um balde.

Morando na obra - Green  Nomad Hoje já estamos pintando o interior e ficará faltando a forração do teto e paredes. A hidráulica já está feita e a elétrica iniciamos nesta semana.

Hélio, vá preparando umas cervejas que no próximo ano o Green Nomad e o MaraCatu vão dividir uma ancoragem pela primeira vez e nós… as geladas, claro!

Abração,

Luis Manuel e Marli
Green Nomad

Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. quinta-feira, 15 outubro, 2009 @ 7:58 am 7:58 am

    Já conhecia, fizeram um barco em aluminio mas eles próprios são feitos de aço. Principalmente a Marli que nestas coisas, as senhoras costumam ser menos predispostas a sofrer com a falta de condições. Gente capaz, para viajar para qualquer parte do mundo, bem hajam.

    Curtir

  2. quinta-feira, 15 outubro, 2009 @ 12:55 pm 12:55 pm

    Nossa… pra quem quer MESMO.. Não existem barreiras!

    Abraços!

    Me motivou ver isso!

    Curtir

  3. Paulo permalink
    quinta-feira, 15 outubro, 2009 @ 1:25 pm 1:25 pm

    Linda Homenagem!
    O projeto é um jóia que o Cabinho desenhou o Luis e a Marli esculpiram.

    Tive o prazer de conviver com eles e ver de perto os trabalhos do acabamento interno: prático e seguro. Tudo simples e no seu lugar.

    Os dois são almas superiores.
    Vida longa ao Green Nomad!

    Que bons ventos os tragam a estas paradas.

    Paulo Ayroza

    Curtir

  4. Luis Sant'Ana permalink
    quinta-feira, 15 outubro, 2009 @ 7:24 pm 7:24 pm

    Com essa história linda quem não se motiva? Belo exemplo de perseverança, atitude e vontade de realizar um sonho. Tenho um sonho de ter um veleiro, um dia, se Deus quiser, conseguirei.

    Abraços e Bons Ventos

    Curtir

  5. Reinaldo permalink
    sexta-feira, 16 outubro, 2009 @ 9:37 am 9:37 am

    Estou “só” reformando e não é brincadeira, imagino o que é construir e morar na obra!
    Parabéns ao Luis e a Marli, são exemplos como estes que me inspiraram no passado, espero que outros também coloquem em prática os sonhos ao conhecerem a história deste casal determinado.

    Reinaldo

    Curtir

  6. segunda-feira, 19 outubro, 2009 @ 1:38 am 1:38 am

    Pessoall,

    É isso aí: vida longa ao casal e ao Green Nomad!

    Mas tem mais: Luis está preparando uma série de posts sobre construção em alumínio para publicar aqui.

    Aguardem no mesmo bat canal.

    Bons ventos sempre,

    Curtir

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: