Skip to content
Anúncios

Dez anos de canoa polinésia no Brasil

quinta-feira, 9 dezembro, 2010 @ 8:38 pm

Tripulantes do Aventura e do Macanudo em Búzios

Na volta da Regata de Veleiros Clássicos, em Búzios, fizemos um pit stop no Iate Clube do Rio a convite de Roberto do veleiro Amarali 6, que nos cedeu sua poita. Blogueiro que é blogueiro sempre está atento ao seu entorno à cata de assunto para um bom post. Comigo não foi diferente: estava de bobeira na deliciosa varanda do clube tomando uns chopinhos quando encontro a Fernanda Cansanção, que foi tripulante do Macanudo em Búzios (no centro da foto acima, ao lado de Mara).

Fernanda faz acessoria de imprensa para a Mediaguide e me convidou para fotografar os remadores de canoa polinésia, conhecidas como Va´a, que davam entrevista pro Globo.

A Rio Va´a 2010, competição válida pelos circuitos Mundial, Sul-Americano e Brasileiro acontece dias 11 e 12 de dezembro, na Urca, no Rio de Janeiro, e comemora 10 anos de canoa polinésia no Brasil.

RioVaa

Segue aí o texto de Fernandinha e de Manoela Penna sobre o evento.

Há dez anos, chegava ao Brasil a primeira canoa polinésia, trazida para o Rio por Ronald Willians. Um ano depois, foi realizado o primeiro Rio Va’a (nome utilizado na Polinésia) e de lá para cá o número de praticantes no Brasil e a competição carioca só cresceram. Dias 11 e 12 de dezembro a Praia da Urca mais uma vez receberá alguns dos melhores do mundo a disputa da nona edição do Rio Va’a, etapa Sul-Americana do Mundial e Campeonato Brasileiro da modalidade.

Cerca de 250 atletas de 35 equipes de sete países participarão do evento que já se tornou uma tradição no fim do ano e colore a orla carioca. Além dos atletas brasileiros, estarão na disputa equipes de Rapa Nui (Ilha de Páscoa) – Chile, Inglaterra, França, Alemanha, Havaí e da Polinésia Francesa (Taiti).

“Essa prova vai ser a oportunidade para as pessoas conhecerem um pouco mais a canoa polinésia. Essa competição irá reunir os melhores atletas da modalidade. Este ano será o nono ano da Rio Va´a e a cada dia que passa esse esporte cresce no país tendo mais visibilidade” disse Nicolas Bourlon, Presidente do Comitê Organizador.

A competição é dividida em diversas categorias, com distancias variadas, de seis a 28 quilômetros. Com largada e chegada na Praia Vermelha, na Urca, o percurso pode ir até a praia de Ipanema, de acordo com a categoria, e terá como cenário o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor, tornando o trajeto um dos mais bonitos do mundo.

A prova é realizada pela Federação Internacional de Va’a (F.I.V.) e pela Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), promovida pelo Rio Va’a Clube, pioneiro da modalidade no Brasil, com o apoio da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, do Iate Clube do Rio de Janeiro e da Associação de Moradores da Urca.

Então tripulantes do MaraCatu Weblog que estão pelo Rio, tai um bom programa para este fim de semana. Se eu fosse você, passaria antes no Bar Urca, ali pertinho da Praia Vermelha, para molhar a garganta antes de assistir a competição.

CanoaPolinesia

Clica aí para mais detalhes sobre a canoa polinésia e para a programação completa.

O VA’A OU CANOA POLINÉSIA NO BRASIL E NO MUNDO

As canoas polinésias ou va’a foram responsáveis pela colonização das ilhas da Polinésia e Micronésia. O va’a atual descende diretamente das antigas canoas de pesca havaianas e taitianas. Nos últimos 50 anos, o va’a conquistou o status de esporte nacional no Havaí e na Polinésia Francesa.

Estima-se que seja praticado hoje por até 25.000 pessoas na Polinésia francesa, onde é tão popular quanto o futebol no Brasil, 10.000 pessoas no Havaí, 5.000 na Austrália e números significativos e em forte crescimento em mais de 30 outros países.

O esporte foi amplamente difundido na Austrália e Nova Zelândia nos últimos 20 anos, e encontra-se em franca expansão fora do triângulo polinésio, com destaque para a França e em mais de oito países europeus, além de África do Sul, Hong Kong, Japão, Canadá e Estados Unidos continental.

Na América Latina, o Va´a é atualmente praticado no Brasil, na Argentina, na Costa Rica, no México e no Chile. A Federação Internacional de Va´a decidiu organizar no Rio de Janeiro, em 2007, ano dos Jogos Pan-americanos a primeira Copa do Mundo de longa distância, para consolidar a proposta de se tornar modalidade olímpica.

A canoa de seis remadores mede quase 14 metros de comprimento, com 50 cm de largura, pesam entre 150 e 200 quilos e comportam um estabilizador lateral ou ama, fixado por duas traves de madeira.

Nesse esporte, o respeito às tradições da polinésia é fundamental, destacando o trabalho em equipe. Numa equipe experiente, sincronismo entre os remadores, a técnica de remada e a potência permite que a canoa deslize na água, podendo atingir até 21 km por hora numa onda.

A canoagem havaiana se diferencia do remo e do caiaque por não exigir qualquer treino específico para que se possa iniciar a sua prática. O trabalho de equipe promove a integração e sincronia entre seus praticantes, pois cada indivíduo tem uma função distinta e cada posição na embarcação tem um papel de responsabilidade. É um esporte para ser praticado por toda a família.

Em setembro de 1994, Ronald Williams, de férias no Brasil após competir na Califórnia, iniciou seus primeiros contatos no intuito de trazer a canoagem polinésia para o Brasil. Contudo, somente em 1999, já morando no Brasil, conseguiu adquirir e trazer a primeira canoa para o país. Em 1999 ele fundou a Associação Brasileira de Va’a e em setembro de 2000, quase um ano após a sua compra, a canoa batizada Lanakila chegou da Califórnia. Lanakila foi utilizada para iniciar a produção de canoas na América do Sul, sendo ela a mãe de todas as canoas brasileira.

O Rio Va’a Clube, fundado no ano de 1999, é o pioneiro na América do Sul. O clube foi o primeiro a competir no exterior, representado o Brasil nas principais provas internacionais da modalidade: França em 2002, Hawaii em 2002, 2003 e 2004 e Taiti, em 2005, com a inédita participação na prova Hawaiki Nui Va’a nas Ilhas ao Vento.

Programação.

Sábado dia 11/12/10
. 07:00 – Reunião dos capitães de equipes e verificação de segurança;
. 08:00 – Largada V6 Júnior, V6 Estreantes e V6 Máster;
. 09:30 – Largada V6 Feminina;
. 12:00 – Largada V1 Infantil.
. 13:00 – Largada V2 Feminina (todas as categorias) e V2 Mista;
. 13:05 – Largada V1 Masculina (todas as categorias);
. 15:00 – Largada Surfski e Caiaque Oceânico (todas as categorias);
. 15:10 – Largada V2 Masculina (todas as categorias);
. 15:15 – Largada V1 Feminina (todas as categorias);

Domingo dia 12/12/10
. 07:00 – Reunião dos capitães de equipes e verificação de segurança;
. 09:00 – Largada V6 Masculina;
. 13:00 – Show polinésio e cerimônia de premiação.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. hugo vidal permalink
    sexta-feira, 10 dezembro, 2010 @ 11:01 am 11:01 am

    Esse negocio de Remar,,,,,,, é dureza ,,,,, Da calo na mão, dor nas costas e por ai vai. Melhor por um motorzinho 3 hp, e ta resolvido ……….

    Curtir

Trackbacks

  1. Tweets that mention Dez anos de canoa polinésia no Brasil « MaraCatu Weblog -- Topsy.com

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: