Skip to content
Anúncios

A marinização da Camila – a travessia

domingo, 30 janeiro, 2011 @ 7:47 pm

O café da manhã era reforçadoSó pra lembrar, ou se você chegou aqui agora, este é mais um post sobre a Marinização da Camila – se a curiosidade bater é só clicar aí para os outros relatos.

Foi uma escala técnica na Praia de Ubatubinha, na Enseada de Sítio Forte. É que o Lelé, que toca o bar de mesmo nome, disponibiliza uma poita com uma mangueira e água à vontade para abastecer os barcos dos clientes. O Astral tem um tanque de 280 litros que atende ao chuveiro do banheiro, e o da popa que é o que mais usamos, mais outro tanque de 120 litros só para a cozinha. Como temos tomado banho em terra, o tanque grande até tinha água, mas o da cozinha precisava ser completado. Enchemos tudo e aproveitamos pra tomar uma ducha e tirar o sal do convés e do cockpit.

Camila quarando ao SolQuando já tínhamos soltado a poita a tripulação do veleiro Lehaim (acho que se escreve assim), que passava de bote por nosso lado, nos perguntou se tínhamos perdido o botinho de apoio. Respondi que não e olhei para o cunho de popa. O bote tinha sumido! Eles foram mais gentis ainda e remaram até pegar nosso bote que havia se enganchado no New Life. Até pensei em fazer uma sindicância a bordo pra saber quem tinha soltado o dito cujo, mas desisti já que a responsabilidade era minha mesmo. Mais uma lição pra Camila: num barco, temos que prestar atenção a tudo e não só à proa.

ZeTimoneandoSeria uma travessia longa até a cidade de Paraty. É bom que se diga que o curso de marinização não é um curso de navegação, então a Camila aproveitou e foi quarar ao Sol no solário de popa. Já Zé Epifânio, mal pegamos o rumo que a first mate e agora navegadora Mara nos informou, se agarrou com o GPS e curtiu o instrumento como se estivesse brincando com um de seus iPods. Zé já está marinizado, até faz xixi sentado, igualzinho a esta charge.

A grande lição do dia para Camila viria mais na frente, quando passamos no través do Parcel dos Meros: no mar temos que ser flexíveis. Ela queria porque queria curtir a night de Paraty e dormir na Praia de Jurumirim. Um programa incompatível, já que a Angra Sail, que alugou o barco, proíbe navegação noturna (poderíamos pegar uma poita em uma marina e eles iriam à cidade de táxi – o que seria um programa cinco cocares, como diz minha amiga Egle do blog pintandoosetti).

Eu sabia que eles conheciam Paraty, inclusive tinham feito um passeio de traineira na região, então sugeri eles curtirem mais um pouco o barco, fazer um programa aonde não se chega chega de carro. Que tal ir conhecer a Ilha da Cotia? Zé captou a mensagem na hora. “Ok tio Hélio, pode mudar o rumo”, Camila falou depois de pensar 27 segundos.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Cristian permalink
    segunda-feira, 31 janeiro, 2011 @ 10:50 am 10:50 am

    Viva!!!! Helio…(cá, no pé do ouvido)….tb quero!

    Curtir

    • sexta-feira, 18 março, 2011 @ 7:10 pm 7:10 pm

      Cristian,

      Também quer conhecer a Ilha da Cotia?
      Simples, se for a Paraty tem traineira que faz passeio por lá.
      Se quiser dormir na ilha, esse sim o melhor programa, aí tem que arrumar um barco.
      Não esqueça de levar os apetrechos prum churrasquinho.
      Quando for me chame.
      Bons ventos sempre,

      Curtir

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: