Skip to content
Anúncios

Receptor AIS gratuito

segunda-feira, 1 agosto, 2011 @ 6:12 pm

IstambulAISVoltei da viagem no veleiro-escola Fraternidade, do meu comandante Aleixo Belov, viciado em chá e numa sigla formada por três letrinhas. Tô falando do equipamento que deveria estar presente em toda embarcação que se aventurasse no mar aberto: o AIS, ou Sistema Automático de Identificação, da sigla em inglês.

Imagine ver uma massa preta de aço no horizonte e saber seu nome, o rumo, a velocidade e quanto tempo ele vai levar para chegar a você. O AIS informa até a que distancia o monstro vai passar! E mais: a facilidade de identificar outro barco a distância é muito útil se houver a necessidade de chamá-lo no rádio VHF. O AIS não substitui o radar, mas é uma mão na roda de leme para evitar abalroamento no mar. Principalmente numa área de transito intenso, como pode ser visto na foto acima, tirada em Istambul, na entrada do Estreito de Bósforo.

Desde 2 004 os aparelhos AIS de Classe A são de uso obrigatório em navios com mais de 300 toneladas e nas embarcações de transporte de passageiros. Os de Classe B são menos potentes, mas também são ativos – recebem e transmitem. Há ainda os mais baratos, que só recebem as informações, os preferidos da maioria dos comandantes de barcos de recreio.

Se você tiver a bordo o rádio VHF, o GPS e um laptop (equipamentos presentes em quase todos os barcos de cruzeiro) já tem 98% do hardware necessário para um sistema AIS. O restante fica por conta do software e de uma pequena modificação no rádio, uma espécie de filtro de áudio, para extrair os dados AIS dos canais duplex 87B e 88B, e um soquete para enviá-los para o laptop. Simples assim, tanto que a empresa New Sealand vende o quite AISonVHF por apenas NZ$97 (aproximadamente 70 dólares americanos).

MarineTraffic

Eu já falei que essa história de sair por aí todo conectado é “uma faca de dois legumes”. Mas a integração de dados usando várias plataformas é realmente muito bacana, vide o fac-símile da tela do MarineTraffic que mostra a posição atual do veleiro Luthier de Dorival e Catarina.

O sistema, hospedado no Departamento de Produto e Projeto de Sistemas de Engenharia da Universidade do Egeu, na Grécia, coleta os dados do AIS com estações em terra e plota num mapa do Google. Então quer saber por onde navega algum barco conhecido que tenha AIS classe A ou B? É só procurar pelo nome ou, melhor ainda, pelo número MMSI – o identificador único de 9 dígitos cadastrado no Maritime Mobile Service Identity.

A boa nova é que o MarineTraffic está realmente interessada em novas bases na América do Sul e até pode fornecer o receptor AIS gratuitamente. O interessado, que pode ser pessoa física ou jurídica, só tem que ter um acesso a internet para atualizar os dados e manter o sistema funcionando no esquema 24x7x365 (ou seja: 24 horas, sete dias por semana, o ano inteiro).

Quer ganhar um receptor AIS grátis? Aqui tem os detalhes.

Anúncios
9 Comentários leave one →
  1. Rafael Meneses permalink
    segunda-feira, 1 agosto, 2011 @ 9:26 pm 9:26 pm

    Realmente uma faca de 2 gumes… O menor dos problemas é a dependência… Esse tipo de informação aberta facilita o trabalho da vagabundagem (ladrões, piratas…). Agora vão sabe o itinerário, porte da embarcação…

    Como a maioria dos cruzeiristas tem blog, se cruzarem as informações… Pronto, desgraça feita…

    Curtir

    • sexta-feira, 5 agosto, 2011 @ 4:36 pm 4:36 pm

      Rafael,
      Vixe Maria. Tô ferrado! Vô correndo apagar esse blog, a conta do Twitter, do Facebook, do Linkedin, do Flikr, do Gmail, do Webmail, do Digg, do Tecnoraci, Do diHITT etc etc etc.
      Uhm, acho que não, vou correr o risco. Dá muito trabalho…
      Bons ventos sempre,

      Curtir

  2. Epifanio permalink
    terça-feira, 2 agosto, 2011 @ 11:58 am 11:58 am

    Acabaram-se as férias!
    Literalmente, pois numa segunda-feira, 1o. de agosto “tio” Hélio volta ao batente do blog.
    Muito interessante esse relato do AIS. Acompanhei pelo blog do Travessura os elogios ao sistema, da mesma forma que por aqui também se fala das vantagens da localização e direção dos “monstros de aço” e a facilidade em como desviar deles utilizando-se o mesmo.
    Mas não creio que a coisa vá estar tão péssima como pinta o Rafael Meneses. Acredito que pirataria e roubo é exceção, e não regra. Nem estarão tão interessados no nosso querido Maracatu, do First Mate Helio e de sua comandante Mara. Afinal, essa máquina de estórias não passa de Noronha, quiçá da Paraíba. Mas um dia, quem sabe, quando resolverem adentrar em mares caribenhos nunca dantes navegados, esse problema mundial já esteja resolvido.
    Grande abraço e bons ventos, sempre.

    Curtir

  3. Reinaldo permalink
    quarta-feira, 3 agosto, 2011 @ 1:54 pm 1:54 pm

    Hélio, minha maior preocupação com este tal AIS é que ficará complicado esconder dos cobradores, de resto…é só alegria.
    Bom retorno ao Maraca!

    Abs

    Curtir

  4. sexta-feira, 5 agosto, 2011 @ 6:02 pm 6:02 pm

    Epi,

    O problema da pirataria está longe de ser resolvido, só não dá pra deixar de ir pro mar por conta disso Como alguém aí já falou: “viver é perigoso”.
    Tô contando os dias pra gente se encontrar, setembro tá chegando. Fala pra minha pupila Camila estudar em dobro agora para ter um tempinho pra vadiar conosco.

    Reinaldo,

    É simples: no mar não há cobradores. Além de não se poder gastar dinheiro…

    Bons ventos sempre, pros dois

    Curtir

  5. Memórias permalink
    sábado, 27 agosto, 2011 @ 3:33 am 3:33 am

    Então Hélio quer saber onde estou?? é s’s porcurar pelo Fetch IV. O problema que o AIS não fica ligado 24h qdo esta no porto! Me avise qdo o frio acabar que assim posso voltar!! bjin e saudades
    Chris

    Curtir

  6. quarta-feira, 31 agosto, 2011 @ 4:58 pm 4:58 pm

    Chris,

    Xííí, deu xabú. Não achei o Fetch, com ou sem o IV.
    Já o Fraternidade vem na hora. Veja aqui: http://www.marinetraffic.com/ais/pt/shipdetails.aspx?mmsi=710000111

    Já em Angra, o frio de fim de inverno está de transformar vodka em licor.
    Venha agora não, vá passear

    Um cheiro,

    Curtir

    • Memórias permalink
      sexta-feira, 2 setembro, 2011 @ 4:34 am 4:34 am

      Helinho o AIS ta desligado desde a volta da Grécia, estamos paradinho no porto de Bari. mais uns dias e sairemos pra passear pelas montanhas italianas, muito vinho nos espera.
      Tudo de bom pra vcs, dê uma olhadinha no Aquarela de vez enqdo, la da sua varanda, por mim.
      Mudando de assunto e as trocentas miles fotos suas qdo vai para um fotoblog.
      Inté a volta, e pra colocar as historias em dia!! bjin

      Curtir

      • segunda-feira, 12 setembro, 2011 @ 1:01 pm 1:01 pm

        Chris,

        Sei que o Marinetrafic não mostra o mapa quando não tem a posição do barco. O que disse é que não há registro do Fetch, mas tudo bem. Depois me passa o MMSI que fica mais fácil.

        Divirta-se em suas férias com o filhote e depois me conta como foi no principado de Filettino.

        Um cheiro,

        Curtir

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: